Foi com base na ignorância politica e histórica do nosso país, que os portugueses (parte activa desta eleição), a juntar aos ideais retrógados da nossa sociedade, escolheram " O GRANDE PORTUGUÊS".
Depois de muito se falar e explicar com documentários fieis e verdadeiros, a importância de nomes como: Vasco da Gama, Luís de Camões, D. Afonso Henriques, Marquês de Pombal, ou o Infante D. Henrique entre outros ilustres personagens, dos quais destaco também de entre a lista dos 90 + : Pinto da Costa, Cristiano Ronaldo, António Variações e Irmã Lúcia, foram as votações por telefone dos portugueses que deram a vitória ao ilustre que a seguir vai ser revelado.
É com enorme pesar que em meu nome e em nome dos que pensam como eu que revelo aqui o meu descontentamento e alguma revolta pelo resultado estranhamente obtido.
Num país que durante décadas se lutou e reivindicou o direito à liberdade de movimentos e acções é à igualdade de direitos e deveres cívicos para uma Democracia Liberal, depois de mais de um quarto de século dessa conquista, assistimos a um momento algo saudosista e mal reflectido das mesmas pessoas, (deduzo eu) que nessa altura lutaram na frente do movimento contra o Fascismo e Salazarismo que imperavam e não deixavam seguir em frente o nosso pequeno Portugal nessa altura...
A situação hoje não é fácil, é mais um momento de crise que atravessamos com dificuldade , mas não acredito que noutros tempos, a situação fosse melhor: é o progresso minha gente, é o progresso...
E eu embora não tivesse vivido esse traumático tempo de censuras e escravaturas sem motivos, de certeza não queria viver uma experiência desse género, a Liberdade é fundamental, e as mulheres também têm direitos...
Mas a julgar por este resultado alcançado por um ditador extremista, que de alguma forma foi importante na história do nosso país, mas de certeza não pela sua posição e actos , mas por ter sido derrubado e ter marcado o fim de uma época negra do nosso passado...Alguns Portugueses, revelam saudades e digo até que gostariam de viver de novo no regime de:

António de Oliveira Salazar

Há uma frase que me prezo de divulgar e que na minha opinião faz da minha forma de ser e estar: um cidadão, não exemplar mas de alguma forma tranquilo e sem vergonha ou receio de ser português :

"Quando nao temos o direito de ser DIFERENTES,

perdemos o previlegio de ser LIVRES..."

E isso com este Ilustre português nunca seria possível e eu seria mais um perseguído pelo seu regime...