Sinopse:

A primeira obra de ficção da jornalista Alexandra Carita que relata na primeira pessoa um crime e como as paixões podem conduzir a actos desesperados. Um romance intenso e empolgante.

Excerto da obra:

«Matei um homem. Não me importei. Não foi por mal nem por bem. Apeteceu-me. Podia ter morto dois, ou três, ou sei lá quantos. Podia ter morto uma mulher. Calhou ser aquele. Não o escolhi. Não o conhecia. Matei-o. Matei-o porque queria libertar-me. Queria explodir. Não senti nada. Matar não custa nada. Não é bom, não é mau. Não é nada de especial. Não me lembro da cara dele. Quero lá saber. Se tinha família ou não, aquelas coisas. Não me interessa. Mateio. Consegui gritar, insensível. Mas não aconteceu mais nada. Não sei onde ficou a paz e a liberdade que eu procurava. Vim aqui parar. Mas antes, fiquei lá. Sentei-me no chão, depois deitei-me.»