Manx

Um gato sem cauda? À estranheza do primeiro encontro seguem-se um sem fim de questões. Será que um gato sem cauda é, ainda assim, um gato? E como foi que aconteceu não ter cauda? E… Talvez não a todas, mas seguramente esclareceremos as dúvidas mais frequentes no que respeita ao Manx, um gato que nem sequer necessita de cauda para ser fabuloso.

Noé, a arca e o último passageiro. De acordo com a lenda, a origem da raça de gatos Manx com a peculiar particularidade de não ter cauda deve-se ao facto de este gato ter sido o último a entrar na arca de Noé, quando este, na eminência do Dilúvio, já estava a fechar as portas, pelo que a cauda terá ficado entalada e sido sacrificada. Uma história bonita, mas que não convence a maioria. Tentemos uma nova abordagem, desta feita no domínio da fábula. Na crença popular dos mais idosos e tradicionalistas, vigora a teoria de que esta raça nasceu do cruzamento de gatos domésticos com coelhos. Isso mesmo, e as patas traseiras bem mais altas do que as dianteiras e a ausência de cauda são avançadas como evidências físicas.