Os atiradores especiais da PSP e o comandante que lhes transmitiu a ordem para «disparar a matar» sobre os assaltantes do BES em Campolide poderão sofrer de stress agudo, devendo receber acompanhamento psicológico imediato, segundo uma especialista em Psicologia Criminal, escreve a Lusa.

Ler notícia completa AQUI