Extractos do meu diário:

7 de Janeiro:

Passei no exame de condução!
Posso agora conduzir o meu próprio automóvel, sem ter de ouvir as recomendações dos instrutores, sempre a dizerem-me:
“Por ai é sentido proibido!"
"Vamos em contra mão!"
"Olha a velhinha!”
"Trava! Trava!"
e outras coisas do género.
Nem sei como aguentei estes últimos dois anos e meio...

8 de Janeiro

A Escola de Condução fez-me uma festa de despedida.
Os instrutores nem querem dar aulas.
Um deles disse que ia à missa, julgo que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar.
Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carta não merecia tal exagero.