Nascida na Alemanha, em 1962, Sandra Ann Lauer foi uma star dos anos 80 basicamente graças ao êxito Maria Magdalena Aos 10 anos começou a ter aulas de guitarra e de canto e aos 12 já sabia que queria ser uma artista da canção internacional. Como na altura não havia "Idolos" nem "Operações Triunfo" para concorrer, a menina Sandra começou a participar em concursos de adolescentes. É claro, ganhou um deles, o que convenceu os papás a deixarem-na entrar para uma girl-band chamada Arabesque. Isto com 16 anos. Parece que o trio (eram três, pois, mas a Sandra era uma espécie de vocalista principal), conseguiu enorme destaque no Japão (estes japoneses estão sempre lá, onde mais ninguém está!).
Em 1985, começou a trabalhar com o namorado, um tal de Michael Cretu, e já nesse ano lançou (I'll never be) Maria Magdalena, que "estacionou" no primeiro lugar do top de singles português semanas a fio (e de mais 20 países, já agora). Eu não me importava nada, o que queria era ver a boa da Sandra.
No mesmo ano surgiu o primeiro álbum, The Long Play (nada mais apropriado para chamar a um LP). A querida Sandra manteve uma carreira profícua, mas nunca chegou a repetir o sucesso de Maria Magdalena.