> O ZÉ, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egypt),
> começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7
> da manhã.

> Depois de um banho com sabonete (Made in France ) e enquanto o café
> (importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech
> Republic ), barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China ).


> Vestiu uma camisa (Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in
> Singapore) e um relógio de bolso (Made in Switzerland).


> Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA ) na sua torradeira
> (Made in Germany ) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in
> Spain ), pegou na máquina de calcular (Made in Korea ) para ver quanto
> é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no seu
> computador (Made in Thailand ) para ver as previsões meteorológicas.


> Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in India ), ainda bebeu
> um sumo de laranja (produced in Israel ), entrou no carro Saab (Made
> in Sweden ) e continuou à procura de emprego.


> Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através
> do seu telemóvel (Made in Finland ) e, após comer uma pizza (Made in
> Italy ), o Zé decidiu relaxar por uns instantes.
> Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made in
> Denmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a
> TV (Made in Indonesia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia
> encontrar um emprego em PORTUGAL...


> Talvez este ALERTA devesse chegar a todos
os consumidores portugueses.

> Estima-se que se cada português consumir 150€ de produtos nacionais,
> por ano, a economia cresce acima de todas as estimativas e, ainda por
> cima, cria postos de trabalho.